CasaCor Ceará 2019

A edição 2019 da CasaCor traz uma seleção de projetos que exploram a afetividade, a tecnologia e a sustentabilidade. Cada ambiente, um mundo à parte.

SALA DE ESTAR por Brenda Rolim. O ambiente idealizado pela arquiteta evoca a atmosfera das típicas salas de visita do passado, amplas e extremamente convidativas. Brenda tirou partido da arquitetura modernista da casa, preservando e restaurando vários componentes originais da construção, como a textura de concreto da abóbada no teto, os tijolos aparentes e as esquadrias de vidro, que permitem total integração do espaço com o exterior. Totalmente sem barreiras visuais, é possível atravessar o ambiente por um só olhar de qualquer ponto. Ao centro, o generoso sofá modulável – o mesmo usado na edição passada da mostra e revestido por tecidos de algodão natural vindos dos teares de Jaguaruana, com apliques de bordados florais – permite novas configurações e o visual da direção preferida. De um lado, uma estante vazada, também modulada, repleta de memórias e plantas. Do outro, uma tela para projeção móvel, assentada sobre trilhos, substitui a tradicional TV. Na escolha do mobiliário, a arquiteta buscou a conexão com a criatividade do Nordeste, destacando peças de design assinadas pelo cearense Érico Gondim, o paraibano Sérgio Matos e o estúdio Mula Preta, do Rio Grande do Norte. Um espaço que reinterpreta o luxo através da força do regionalismo.

Fornecedores: Galpão D, Singular Automações, Ailec e Adroaldo Tapetes do Mundo.


ALPENDRE – MEMÓRIA INTERIOR por Elias Petruço e Felipe Costa. Um ambiente pensado para estimular boas lembranças e transportar os visitantes a uma gostosa sensação de acalanto dos alpendres interioranos. O projeto tira partido do aconchego da madeira e de elementos naturais como o tijolo e o concreto, além de uma cartela de cores marcada por tons terrosos, padrões madeirados e matizes neutras. O espaço faz uma fusão da sofisticação contemporânea com a simplicidade de outrora, com o mobiliário moderno e confortável dialogando com selas, mandacarus e outros elementos que remetem ao sertão, realçados por uma iluminação intimista e acolhedora. Um dos destaques do recanto é o teto pintado de azul em alusão ao céu estrelado das noites sertanejas. Um espaço cheio de personalidade para se conectar com as próprias raízes e rememorar bons sentimentos.

Fornecedores: Galpão D, Rinnovo, Floraplac MDF, Bete Cunha Tapetes e Bete Cunha Interiores.


RELICÁRIO – LAVABO COM HALL por Ticiana Sanford. Memórias afetivas, a atmosfera de fazenda do sertão e a exuberância da vegetação tropical das serras de Guaramiranga e da Meruoca foram os pontos de partida do projeto, no qual objetos pessoais da avó da arquiteta aliados a peças de design contemporâneo formam um relicário de lembranças. Destaque para o acabamento na pedra cearense Azuli e instalação de folhas secas feita em material biodegradável pela artista plástica Socorro Silveira.

Fornecedores: Bete Cunha Interiores, Bete Cunha Tapetes, Candela e Galpão D/Lespec.


TERRAÇO DA FAMÍLIA por Cibele Parreiras. Um ambiente guiado sobretudo pela vontade de estar em paz e de estar junto. Para garantir essa atmosfera, a arquiteta tirou partido de diversos elementos que dialogam e se complementam, como a madeira – no painel ao fundo e na ampla mesa que convida a partilhar as refeições em boa companhia – e os tons de terracotta, verde água, rosa seco, coral e verde limão que compõem a paleta. A área externa também é convidativa, com um lago com bordas delimitadas por pedras de rio trazendo todo o frescor e a calmaria do contato com a natureza. Ênfase ainda para a rede, logo na entrada, numa ode ao bem-estar por meio do resgate a esse costume que é tão nosso, tão “de casa”, símbolo de movimento e liberdade.

Fornecedores: Eucatex, Roberto Dias, Adroaldo Tapetes do Mundo e Lacittà.


Cada morada, um universo novo, particular, onde construímos – e ora também abrigamos – intimidade, sonhos, memórias, histórias. Assim é o “Planeta Casa”, conceito que norteia a 21ª edição da CasaCor Ceará, que, este ano, celebra ainda os 80 anos do Grupo J. Macêdo. Oito décadas de uma trajetória de pioneirismo na história da indústria brasileira e cujas “páginas” contam muito não apenas sobre os Macêdo, mas também sobre as muitas famílias que vivem no nosso Estado. Pelo segundo ano consecutivo – e terceria vez na história – na casa de 10 mil m² que, outrora, foi a residência da família, a edição 2019 da principal mostra de arquitetura, design e paisagismo das Américas nos brinda com 39 ambientes, envolvendo 68 profissionais, que refletem a preocupação cada vez maior com um morar sustentável, tecnológico e totalmente personalizado. Se a proposta do tema é explorar cada espaço como um universo particular, lugar no qual podemos expressar nossa essência, os projetos carregam conexões afetivas e apego às raízes. A influência do regionalismo, as marcas do tempo, a integração à natureza… Cada detalhe retrata de forma natural e genuína vivência e histórias de vidas com muita emoção.


BIBLIOTECA PARAÍSO por Érico Monteiro. Uma biblioteca ancorada em raízes sertanejas. O nome do espaço veio de um açude existente na fazenda Canhotinho, de propriedade do empresário José Macêdo. Assim, o clima rural paira sobre o ambiente e transporta os visitantes a um estábulo ou celeiro de um rancho, com direito a feno e grãos armazenados. As paredes brancas e o teto desgastado ganharam complemento do mobiliário de aspecto rústico e elementos naturais, como a madeira, o couro e a palhinha. Uma grande estante vazada remete ao escritório do homenageado, onde gostava de passar as horas ouvindo suas melodias favoritas. Uma viagem sensorial para os visitantes.

Fornecedores: Singular Automações, Bete Cunha Tapetes, Bete Cunha Interiores e Bentec.


Um recanto moderno, elegante e aconchegante para uma jovem de muita personalidade.


SUÍTE DA FILHA por Amaury Jr. Para uma jovem cheia de personalidade, que ama moda sem padrões pré-estabelecidos e prefere ler um livro a assistir televisão, mas não abre mão de reunir as amigas no seu cantinho, o arquiteto criou um ambiente moderno, aconchegante e sofisticado. O projeto contempla quarto, closet e banheiro, incluindo um espaço com sofá e mesa para estudo e reuniões, atuando como uma espécie de agradável living. A escolha por tons terrosos traz um toque cálido e acolhedor, enquanto o jardim suspenso e o revestimento em tijolinho conferem frescor e personalidade ao décor. Destaque para o conceito de closet aberto, que utiliza cabideiros de piso feito sob medida, auxiliando na escolha dos looks. O cenário recebe iluminação indireta, tornando-o mais intimista e valorizando os detalhes da composição.

Fornecedores: Lacittà Revestimentos, TSX, Vetromani, Modullos Home Arte, Casa Bonita e La Vinci.


SUÍTE DOS GÊMEOS por Utte Arquitetura. Inspirada na metodologia Montessoriana, a suíte foi pensada para as crianças de até sete anos aplicarem os conceitos de autonomia e segurança. O espaço é dividido em áreas para brincar, descansar e de banho. Tudo elaborado em detalhes para o livre acesso dos pequenos, com estantes baixas para guardar brinquedos, canto de leitura, escadinha e escorregador. Destaque para a extensão do papel de parede lousa, que permite explorar cores e dezenas de atividades.

Fornecedores: La Vinci, Carmehil e Lis baby.


SUÍTE XX por Anik Mourão. A arquiteta voltou ao passado e buscou inspiração nos anseios do movimento modernista para criar esse espaço, que explora o charme e a sinuosidade do estilo de forma leve e contemporânea, dialogando com a arquitetura do imóvel. Anik aposta em uma planta livre, fluida e integrada, com áreas determinadas apenas pela disposição do mobiliário com forte referência ao movimento, como a lounge chair de Martin Eisler dos anos 1950 e a chaise LC4 de Le Corbusier do anos 1960, que delimita o estar, repleto de obras de arte e memórias afetivas. O perfume vintage também está presente na cama em malha de concreto e na marcenaria assinada pela arquiteta, que traz como destaques o biombo curvo em fórmica bronze escovada e a penteadeira em corian e madeira carbonizada, vedetes da proposta. Destaque para o generoso espelho redondo iluminado que atende aos dois lados. O projeto ainda mescla materiais naturais, com paredes em quartzo Berrini e Blue Roma e piso em porcelanato que faz alusão aos antigos terrazos. Tudo realçado pelo bem pensado luminotécnico.

Fornecedores: Adroaldo tapetes do Mundo, Ailec, Sonho Bianco, Habitat Automação, Candela e Granos.


ESCRITÓRIO A VOZ DO VERSO por Coletânea Arquitetos. Para romper com a tradição do escritório como um ambiente masculino, o espaço traz como proposta dar voz a todas as mulheres por meio de uma atmosfera sensorial, inspirada no charme, na beleza e na delicadeza da cantora cearense Giovana Bezerra. As arquitetas Manoella Linhares e Natália Benevides usam a arte e a música para guiar o visitante pelo conceito original do projeto, que explora elementos rústicos, como a mesa em pedra bruta e o uso de mandacaru, aliados ao toque moderno dos metalizados. As memórias afetivas estão por toda parte. No lavabo, destaque para o desenho canelado, em laca dourada, da bancada e a instalação de galhos secos invertidos, que simbolizam o espírito criativo da artista.

Fornecedores: Atmos Automação, Bete Cunha Interiores, Bete Cunha Tapetes, Desconexo Design, Galpão D, Paroma e Terra Brasilis.


SALA DA FAMÍLIA por Trê Arquitetura. Andréa Verçosa, Karine Albuquerque e Liana Otoch assinam esse espaço de atmosfera despretensiosa, repleto de boas memórias e extremamente convidativo. Matizes suaves e neutras, com pitadas de verde e camelo reforçam o “mood comfy” – conceito sinônimo de conforto trazido do universo fashion -, que recebe o complemento de peças de design assinado, como a poltrona underconstruction de Pedro Franco. O piso e o teto originais foram mantidos, preservando a identidade da casa. Destaque para a tela em p&b, da artista Suzana Rocha.

Fornecedores: Galpão D / Le Spec, Spot Iluminação, Singular Automações, Ailec, Bete Cunha Tapetes, Bete Cunha Tecidos e Terra Brasilis.


SALA DE JANTAR por Claudia Castelo Branco. Fluidez e autenticidade foram palavras-chave para Claudia Castelo Branco na hora de pensar e projetar esse amplo espaço de convivência, com sala de jantar e open bar integrados. A estratégia foi criar uma base minimalista, em que a paleta sóbria e discreta dialogasse com os demais elementos, culminando em uma atmosfera elegante e atemporal. Assim foi com a escolha dos painéis madeirados e ripados, que vestem o espaço trazendo calor, aconchego e unidade visual, mesmo contracenando com matérias-primas frias, como o porcelanato marmorizado. Na finalização, os tapetes exclusivos e os móveis e luminárias de desenho curvilíneo, assim como o verde pontuado pelas plantas, reafirmam a vocação do espaço para o conforto e acolhimento. O grande destaque e o colorido, porém, ficam por conta do acervo de obras de arte assinadas por grandes artistas cearenses da contemporaneidade, como José Guedes, Túlio Paracampos, Barrica, Roberto Galvão, entre outros.

Fornecedores: Ailec, Bentec, Candela, Adroaldo Tapetes do Mundo, Galpão D, Le Spec, Agatek, Galeria Mariana Furlani e Galeria Daniele Araújo.


ESTAR BEM-ESTAR por Joana Figueirêdo. O primeiro ambiente da casa dá boas-vindas aos visitantes com formas e cores delicadas, que dão o tom da proposta. A arquiteta brinca com linhas curvas e retas, além de matizes do verde e do rosa, numa pegada candy colors, promovendo um misto de nostalgia, futurismo, sofisticação e alegria. A arcada do teto, mantida da arquitetura original do imóvel, inspirou o desenho sinuoso do mobiliário, trabalhado em laca e o com toque pontual da madeira natural. O piso, reproduzindo a paginação dos marmorites, agrega um perfume rústico ao mix de sensações provocadas pelo espaço. Por fim, os perfis na cor preta delineiam todas as paredes, conectando todos os elementos com um ar superatual. Obras de arte e luminárias modernas dão o arremate final na personalização.

Fornecedores: Agatek, Bentec, Casa Bonita e Galeria Danielle Araújo.


A expressiva tela no formato de mosaico traz um caráter singular ao ambiente


MEMÓRIAS por Sergei de Castro. O nome escolhido para o ambiente traduz a essência afetiva da proposta aplicada pelo artista plástico e decorador Sergei de Castro. Os detalhes da composição refletem as recordações dos 21 anos de CasaCor Ceará que o profissional participou. Livros, retratos, quadros, esculturas e outros objetos humanizam o cenário e ajudam a contar essa história de amizades criadas e projetos marcantes, reunindo memórias de todo o período. O mobiliário é predominantemente rústico, feito em madeira natural esculpida, em harmonia com o piso madeirado e o revestimento em tijolo aparente, mas também há espaço para peças de design, como a poltrona Shell de traçado sinuoso, assinadas pelo estudiobola. O grande destaque é a enorme tela sem moldura que simula um vitral típico de arte sacra tradicional, impactando todos os visitantes.


SALA DE CINEMA DA FAMÍLIA por Lunar Arquitetura. Uma perfeita união entre tecnologia, sustentabilidade, sofisticação e aconchego. Espaço pensado para a interação da família e amigos queridos, traz ao centro dois sofás com encosto movél para se adequar à posição desejada. Totalmente automatizado, o ambiente promove uma experiência diferenciada em som e iluminação. A escolha dos acabamentos seguiu o conceito sustentável, com revestimento acústico feito de garrafas pet recicladas. Destaque para o teto em ripado de madeira, provocando efeito de onda.

Fornecedores: Galpão D.


O mix entre o moderno e o artesanal resulta em cenários exclusivos de puro charme.


LOFT MATURE por Thiago Von Paumgartten e Tildchen Von Paumgartten. Idealizado para uma mulher madura, moderna, dinâmica e independente, o loft de essência sofisticada e contemporânea prioriza a amplitude, o conforto e uma paleta de cores delicadas e acolhedoras. Dividido em área social, gourmet e dormitório, com closet e banheiro, o ambiente alia a tecnologia ao uso da cultura regional, a exemplo da divisória de labirinto que separa o estar da ala íntima. Destaque ainda para a mesa com bancada de desenho assimétrico e para o painel de espelhos sobre a cama, que vai da parede ao teto, que também explora padrões geométricos desconstruídos. Um cenário que exala charme e aconchego, mas que não abre mão do uso de elementos naturais e regionais, ressaltando a identidade pessoal e as raízes culturais dessa mulher.

Fornecedores: Casa Bonita, Adroaldo Tapetes do Mundo, Agatek, La Vinci, Rinnovo, Terra Brasilis, Galeria Danielle Araújo e Floraplac.


HALL DO COLECIONADOR por Tatiana Mendes. A expressividade das obras de arte capta o olhar, desperta sentimentos, memórias e emociona o visitante. O corredor, originalmente um lugar de passagem, se torna um espaço de permanência graças à sofisticada mistura de cores e texturas criada pela arquiteta. As telas do memorável artista cearense Cláudio César ocupam posição de destaque no cenário, conferindo personalidade e atraindo o olhar à contemplação. O apelo sustentável fica por conta do banco de alvenaria com frente trabalhada em gesso, remetendo a textura de pedra.


COZINHA DONA BENTA por Vinícius Ferreira. O espaço traz uma releitura das cozinhas tradicionais, com aquele clima gostoso de “casa da vovó”. O projeto vai além da funcionalidade e proporciona um mergulho no passado, trazendo de volta os armários clássicos, cristaleiras, bancada em ilha com jirau e panelas de barro, além de despertar emoções por meio de experiências sensoriais, como o delicioso aroma de baunilha que permeia o ambiente. Os tons escuros e terrosos, aliados aos padrões madeirados e às estruturas metálicas de traçado retilíneo, conferem uma atmosfera moderna e arrojada ao décor. A área é toda voltada para a convivência, com mesa para refeições, cadeiras em torno da bancada e um confortável sofá para relaxar e conversar enquanto a comida fica pronta. O contraponto de cor vem das plantas espalhadas estrategicamente pela composição, com destaque para os mini vasos moldados em gesso, que são as mãos do próprio designer. As luminárias feitas de matéria-prima local incorporam a expressividade regional e realçam a personalidade forte da nossa cultura.

Fornecedores: Planneje Prime, Ailec, RL Mármores e Granitos, Cosentino – Dekton, Casa Bonita, Terra Brasilis, Grupo J. Macêdo, Dona Benta, Adroaldo Tapetes do Mundo e Vidraçaria Paulista.


MEU LUGAR NO MUNDO por Carlos Otávio Arquitetura & Interiores. O loft foi idealizado como refúgio urbano de um casal que vive em constantes viagens, mas busca uma conexão profunda com as próprias raízes todas as vezes em que retorna ao lar. A ideia é usar o espaço como ele é, respeitando sua originalidade e desgaste do tempo. O projeto enaltece o regionalismo, mesclando peças de design moderno e obras de arte ao artesanato local, com destaque para o tapete e o biombo, trançados em palha de carnaúba. Um cenário repleto de histórias e afetividade, que exalta os valores e as belezas do nosso regionalismo.

Fornecedores: Galpão D, Multigran, Habitat, Vidraçaria Paulista, Renata Colchoaria e Terra Brasilis.


COZINHA DE ORIGEM por Ana Virginia Furlani. O espaço é um resgate a todas as cozinhas guardadas na memória, ainda vivas, da arquiteta, como o cantinho da bisavó no sertão cearense e os momentos com os pais na infância. Apaixonada por culinária, a profissional faz uma coletânea de referências para criar um cenário afetivo e acolhedor. A paleta de cores é dominada pelo terracota, a cor do barro das panelas, utilizado para revestir piso, parede e teto, tanto no ladrilho quanto na textura. Os armários deixam tudo à mostra, utensílios, ingredientes e livros de receita, convidando as pessoas a se aventurar no universo gastronômico. O mobiliário solto propõe intervenções pontuais, porém, de peças marcantes. Em destaque, a impactante mesa de mais de seis metros para 22 pessoas, feita em madeira bruta e vidro, e o conjunto de sofás banhados por luz natural, que convidam a compartilhar experiências e boas conversas. Para complementar a atmosfera envolvente, limoeiros, laranjeiras, pés de romã, pimentas e pimentões enchem o lugar de cores e aromas.

Fornecedores: Bete Cunha Tapetes, Bete Cunha Interiores, Galpão D / Le Spec, Spot Iluminação, Ailec e Terra Brasilis.


PAVILHÃO CRIATIVO – CEARÁ FEITO A MÃO por Josafá Neto, Juliana Hissa e Zaíra Mendes. Um espaço feito sob medida para celebrar a arte cearense, reunindo arquitetura, artesanato e design em um só lugar. A loja traz formas retas e desenho limpo, remetendo a um pavilhão. Uma grande caixa de concreto que ganha vida o colorido das peças assinadas por artesãos locais, selecionados a partir do uma curadoria minuciosa. Um dos nomes em destaque é o mestre Espedito Seleiro. A riqueza de cores, texturas e materiais explorados nos objetos à venda, incluindo bolsas, almofadas, luminárias e adornos, dão personalidade ao espaço.

Fornecedores: Casa Bonita, Bete Cunha Interiores e Singular Automações.


SUÍTE HARD ROCK HOTEL por Alexandre Matos. Um espaço autêntico, que serve como apresentação do novo empreendimento no Estado, fazendo um mix entre a essência do negócio e traços característicos do nosso regionalismo. Os tons terrosos dominam as texturas do símbolo da marca, de design sinuoso, em harmonia com a paisagem do entorno. A composição ainda aposta em recursos tecnológicos audiovisuais para atrair a atenção do visitante.

Fornecedor: Habitat Automação.


SERTÃO GREGO por Ney Filho. É possível mesclar o sertão cearense com o estilo mediterrâneo da Grécia? O espaço criado pelo arquiteto prova que a inusitada combinação entre o nosso regionalismo e mitologia pode ser perfeitamente harmônica. O restaurante explora o azul, bastante usado nas ilhas gregas ao aconchego da madeira para criar uma atmosfera intimista. Pinturas artísticas nas paredes revelam o caráter original e culturalmente diversificado da proposta, misturando a mitologia com a paisagem árida do sertão. A luminária orgânica e o tapete artesanal arrematam a composição.

Fornecedor: Paroma.


CAFÉ URBANO – LE PAIN CAFÉ por Diego Studart. Instalado entre quatro árvores, o agradável espaço traz referências de cafeterias ao redor do mundo, conferindo um ar de delicatessen. Num mix rústico e sofisticado, o projeto contempla um lounge ao ar livre e uma área interna na qual a mesa coletiva em madeira dialoga com o teto no mesmo material, transmitindo unidade e aconchego. O uso do cimento queimado destaca os ladrinhos p&b e o marsala nos detalhes.

Fornecedores: Granos, Bete Cunha Interiores, Bete Cunha Tapetes e Galpão D.


CASA NINKASI – BAR DO AUSTIN por Afonso Tomoda. Na tradição do povo sumério, Ninkasi é a deusa do álcool, responsável por preparar bebidas para os outros deuses todos os dias. Essa divindade foi a principal inspiração do arquiteto Afonso Tomoda na concepção desse bar, feito com estrutura em balanço e totalmente aberto ao jardim da casa. Aliás, a integração com a natureza é um dos trunfos do projeto. Um grande tronco de árvore foi mantido no meio do salão e aberturas desconectadas, atrás do balcão, emolduram o verde, que contrasta com o terracota, usado em paredes e teto. O projeto utiliza materiais como aço, placas de drywall e piso em pedra, conferindo um toque industrial. Já a escolha do mobiliário alia design assinado à preocupação com a sustentabilidade, mesclando a clássica poltrona Mole, de Sergio Rodrigues, com cadeiras que sofreram carbonização e restauro. Para arrematar, a instalação “revoada” representa o voo em direção ao sonho.

Fornecedores: Multipedras, Casa Milà, Terra Brasilis e Bete Cunha tapetes.


LOUNGE DO PUBLISHER por Roberto Pamplona Jr. Como homenagem aos 10 anos do jornalista Adriano Nogueira à frente da revista Tapis Rouge (Tapete Vermelho, em francês), o projeto explora os tons de vermelho e laranja, por todo o espaço. O teto recebe cobertura em plástico cristal, promovendo uma maior integração do interior com a natureza, em sintonia com o tema da CasaCor.

Fornecedores: Adroaldo Tapetes do Mundo, Casa Bonita, Agatek, Galeria Mariana Furlani e Singular Automações.


GALERIA CRIS CAVALCANTE por Claryanne Aguiar. Um espaço dinâmico, feito sob medida para mostrar a obra e contar um pouco do processo criativo de uma artista em constante evolução, a cearense Cris Cavalcante. A base em preto e branco permite que o colorido vibrante das obras seja o grande destaque. Também chama atenção a cascata em pedra natural com trabalho em 3D.

Fornecedores: Galeria Cris Cavalcante, Paroma, Whitestone, La Vinci e Agatek.


CASA BAUHAUS por Rosalinda Pinheiro. A arquiteta assina um espaço de DNA modernista de 52 m² em homenagem ao centenário de fundação da Bauhaus, escola alemã que criou o conceito moderno de design e segue influenciando profissionais até hoje com sua estética minimalista e uso das cores primárias. O espaço contempla dois níveis. No primeiro, estilo loft, uma cozinha gourmet e uma ampla sala explorando paredes envidraçadas e estruturas em metal. No terraço superior, bancada gourmet e um confortável estar, tudo com mobiliário inspirado no padrão criado pela Bauhaus.


STUDIO DO VIAJANTE por André Monte. O designer partiu do tema da edição deste ano, “Planeta Casa”, para conceber um espaço que transborda personalidade, conforto e afeto, demonstrando que cada lar é um universo particular. A área de 90 m² foi pensada para alguém que viaja bastante, mas adora voltar para o conforto e o aconchego do lar, onde cada detalhe revela um pouco dos seus gostos e personalidade. Um projeto dinâmico, com múltiplas possibilidades de uso. No estar, sofisticado e ao mesmo tempo despojado, a base cinza conversa com a mesa de centro escultural em pedra bruta e com o sofá no mesmo tom, deixando o foco de atenção para a estante iluminada, em madeira natural e portas de correr em palhinha tingida de preto, que abriga os objetos afetivos. A cozinha integrada segue uma linguagem sóbria e funcional. No quarto, aberto ao estar, painéis em madeira ripada abraçam o espaço, numa ode ao aconchego. Já no banheiro, o destaque fica por conta do papel de parede personalizado com estampa tropical. Um recanto para quem deseja sentir o entusiasmo em desbravar o mundo e trazer para dentro do seu lar um pouco de cada viagem, seja em forma de objetos ou memórias.

Fornecedores: Criare (patrocinador master do ambiente), Galpão D, Bete Cunha Tapetes, Bete Cunha Interiores, Singular Automações e La Vinci.


RAÍZES por Adelina Feitosa e Manuela Cidrão. Um espaço resgata as raízes cearenses. As arquitetas, com a colaboração do arquiteto Luiz Deusdara, criaram uma “aldeia” moderna, que aposta na força da memória afetiva local. O destaque do ambiente é uma tenda recoberta por uma sofisticada trama de palha de carnaúba, que pousa sobre um contemplativo espelho d’água. Almofadões, redes e a presença de uma jangada, além de uma trilha sonora de artistas locais complementam o cenário e reforçam a experiência.

Fornecedores: Bete Cunha Tapetes, Bete Cunha Tecidos, Singular Automações e Terra Brasilis.


JARDIM DOS LAGOS por David Gondin, Fabrício Pereira, Lídia Oliveira, Lílian Serejo, Roberta Morais, Roberta Pereira, Roberto Reijers, Sérgio Ricardo Tavares, Thomas Reeves e Ticiana Mesquita. O espaço, inspirado no jardim já existente projetado por Burle Marx, presta homenagem ao ícone do paisagismo brasileiro. O projeto explora uma grande variedade de flores e plantas ornamentais, tornando-se um ponto de encontro para os entusiastas do verde.


CANTEIROS por Arthur Bonavides. Um recanto intimista e que traduz a experiência sensorial provocada pela conexão direta entre homem e natureza. As esculturas vivas, feitas de jabuticabeiras, pata de elefante e palmeira laca, transcendem emoções e são contempladas como obras de arte. Para complementar a composição, espelhos d’água suscitam as sensações de paz, bem-estar, harmonia e espiritualidade aos visitantes.

Fornecedores: Europa Garden, Candela e Galpão D.


OÁSIS TROPICAL por Thiago Borges. Um refúgio paradisíaco em meio às construções da cidade para conectar o visitante com contato direto com a natureza. A piscina natural possui uma queda d’água que proporciona um som ambiente extremamente relaxante, além de ser toda margeada por espécies tropicais. Um aconchegante lounge, com iluminação intimista, convida o visitante para uma pequena pausa para contemplar a beleza do entorno.


CASA NÔMADE por Ramiro Mendes. O clássico livro On The Road, de Jack Kerouac, uma das obras literárias mais celebradas do século XX, virou um marco da Beat Generation, grupo de escritores e poetas norte-americanos das décadas de 1950 e 1960 de vida nômade, considerados precursores do movimento hippie. Inspirado nesse conceito, o designer Ramiro Mendes criou esse loft pensado para os apaixonados por café, literatura, jazz, meditação e para os que têm ânsia de correr o mundo e precisam de um lugar para descansar ou se preparar para a próxima aventura. Para isso, uma paleta de tons suaves, o aconchego da madeira e móveis que priorizam o conforto, a leveza e a funcionalidade. O ambiente instiga momentos de relax, trazendo uma ampla sala com varanda e uma prática e bem equipada cozinha, com uma grande mesa de madeira natural, para receber os amigos, além de uma confortável cama e uma convidativa banheira de imersão. Um refúgio perfeito para tranquilizar as inquietações.

Fornecedores: Galpão D, Atmos Automação, Ailec, Bete Cunha Tapetes, Bete Cunha Interiores e Granos.


O artesanato cearense brilhou no “labirinto” criado para recepcionar o visitante.


BRASIL ORIGINAL por Joel Filho e Karine Maia. O tema “Minhas Origens” foi escolhido para guiar o projeto desse espaço de 140 m². Dessa forma, dezenas de peças feitas a partir de técnicas de bordados e rendas, elementos bastante representativos do artesanato local, ganham destaque a partir de uma instalação, feita por biombos de madeira e tecido, formando um grande labirinto. Elementos originais da construção foram preservados, incluindo parte do piso, que ganhou a companhia de uma nova paginação, conferindo um efeito de patchwork à composição.


ESPAÇO J. MACÊDO 80 ANOS por bravo! arquitetura inteligente. As oito décadas de tradição do Grupo J. Macêdo são a referência do projeto, pensado em detalhes para contar um pouco dessa história de sucesso. Tons de azul no piso, teto e paredes criam a atmosfera de imersão na identidade visual da empresa. Já o dourado é usado como base industrial por meio da textura de concreto. A linha do tempo é contada por meio de projeções num trajeto que simula os silos e, ao final, um holograma transmite momentos familiar de uma excução de receitas. Durante o percurso, um gostoso aroma de pão toma conta do espaço, despertando no visitante lembranças e emoções. Destaque para a escultura baseada em uma fotografia inédita do industrial José Dias Macêdo, executada pelo artista plástico Assis Filho, e para a grandiosa “obra de arte” feita com trigos pelos profissionais.

Fornecedores: Atmos Automação e LPM Mármore e Granito.


CASINHA COM VARANDA – LAVABOS PÚBLICOS por João Dias. O estilo brutalista, com estética crua e minimalista, formas geométricas e ângulos expressivos, foi o fio condutor do projeto de pé-direito duplo, que contempla cabines com diferentes temas e espaços para lavabos e maquiagem. Nele, o designer trabalhou tons de branco e dourado, com destaque para o teto bordô. Na área externa, uma aconchegante varanda faz um irrecusável convite à convivência e à contemplação da natureza. Peças da arte do design e do artesanato cearense arrematam a composição.

Fornecedores: La Vinci, Terra Brasilis e Ceart.


PRAÇA CASACOR por Campelo Costa, Joaquim Cartaxo e Romeu Duarte. Destinada aos eventos e ações da CasaCor Ceará, a praça é um espaço de integração social e entretenimento. O piso original foi tingido de rosa, destacando o ambiente delimitado pelas jardineiras já existentes. O mobiliário em linhas retas e no tom laranja faz o contraponto e ganha o complemento do painel em homenagem aos arquitetos Janete Costa e Acácio Gil Borsoi, que assina a arquitetura da casa.


BILHETERIA E SALA DE SEGURANÇA por Leonardo Freire. Espaço de entrada da Mostra, o ambiente traz um apelo sustentável por meio da seleção de materiais e mobiliário. O projeto integra a área interna com o belo jardim da casa, trazendo o frescor da natureza para quebrar a frieza dos materiais e das cores da composição, que prioriza linhas retas e simples. Um cenário acolhedor e cheio de vida que transmite aos visitantes o clima de bem-estar proposto por todo os ambientes do evento.

Fornecedores: Adroaldo Tapetes do Mundo e White Stone.


CIDADE DA GENTE por Estar Urbano. As arquitetas Laura Rios e Liana Feingold assinam a intervenção na entrada da Mostra. Inspiradas no projeto Cidade da Gente, lançado pela Prefeitura de Fortaleza em 2017, elas se inspiraram no desenho geométrico das obras de Sérvulo Esmeraldo, para tornar o espaço público mais humanizado. O projeto inclui paraciclos com elementos das esculturas do artista, além de bancos e jardineiras feitos em madeira plástica reciclada. Destaque ainda para o painel feito com técnica de impressão gráfica em cerâmica com desenho inédito do artista plástico cearense.

0
Total Page Visits: 349 - Today Page Visits: 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *