DNA Tropical

POR RODRIGO MAIA

O arquiteto imprimiu um DNA tropical a casa de veraneio, conferindo uma atmosfera despojada e acolhedora aos espaços. Para isso, investiu em materiais naturais, cores claras e muita luz natural, trazendo a leveza e a simplicidade que o casal procurava para os momentos de lazer.

Em frente ao mar, esta casa de veraneio de 381 m² capta o frescor e o clima de descanso do litoral. O casal com três filhos e cinco netos estava em busca de um refúgio leve e despojado para ser o ponto de encontro da família aos finais de semana. Rodrigo Maia, arquiteto escolhido para a tarefa, foi além e presenteou os clientes com uma casa de DNA tropical, acolhedora, convidativa, informal e descomplicada, totalmente integrada. Os espaços são banhados pela luz natural, realçando as cores neutras e o verde das plantas, que pontuam quase todos os recantos. A madeira é protagonista – afinal, é preciso resistir ao tempo e à maresia – e surge nas ripas maciças que valorizam as paredes, nos painéis, na marcenaria e no mobiliário solto, aliando durabilidade e conforto visual. As prateleiras e os móveis de grande escala, aliás, trazem uma linearidade interessante, criando a sensação de continuidade para o olhar. “Integramos visualmente os espaços, repetindo os mesmos acabamentos em todos, com diferentes interpretações e em harmonia com a fachada da casa projetada pelo arquiteto Daniel Arruda”, acrescenta. Do ponto de vista estrutural, a planta foi ajustada para atender prontamente às necessidades e desejos dos clientes. Na suíte do casal, por exemplo, os dois banheiros foram unificados para encaixar um closet. Outra ideia interessante foi aproveitar a área embaixo da escada como louçaria. Já na varanda, Rodrigo acrescentou um bar com área gourmet, conectado à casa e a poucos metros da piscina, multiplicando o lazer da família. O resultado é um lugar cheio de bossa e de boas vibrações que convida a relaxar, sem perceber o tempo passar.


PERFIL DO PROFISSIONAL
Formação: Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR).
Tempo no mercado: 14 anos.
Lema ou filosofia: “Realizar sonhos criando lares e espaços comerciais com uma linguagem atemporal, criativa e cheia de personalidade, sem abrir mão da identidade dos moradores/usuários”.


O ripado em madeira maciça percorre as paredes, como a que envolve a caixa do elevador. O design brasileiro marca presença na cadeira Diz, de Sergio Rodrigues. Pontos de cor surgem no tapete de padrão geométrico, nas obras de arte e nos objetos. Nas páginas anteriores, destaque para os pendentes da Spot Iluminação. Na área externa, a área gourmet foi revestida em Dekton (Ailec) junto à piscina (com móveis Tidelli). Já o home tem revestimento em tijolos Palimanan.

A versatilidade da madeira e os papéis de parede são explorados nas suítes, imprimindo a personalidade de cada membro da família.


0
Total Page Visits: 180 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *