Chaise longue

Apesar do nome em francês, a origem da “cadeira longa” se dá muito antes de seu uso na França. Suas formas longilíneas acomodam o corpo humano desde a história antiga, como a perfeita tradução do conforto na linguagem universal do design.

Muitos acreditam que a chaise-longue teve origem na França, seja pelo nome ou pelos modelos registrados no século XVI. Sua história, entretanto, teve início bem antes, no Egito, como um modelo de móvel híbrido, com características de cadeira e sofá-cama. As mesmas referências aparecem na arte grega, por meio de imagens de deuses e deusas descansando sobre longas cadeiras. A chaise francesa de fato surgiu no século XVI, com um projeto de quatro pernas e um encosto reclinado para a parte de trás. O modelo foi muito utilizado em toda a Europa, principalmente por família ricas, para que as mulheres descansassem durante o dia, sem precisarem ir para seus quartos. Entre as histórias mais curiosas que envolvem a chaise-longue está a de Maria Antonieta, fã confessa desse estilo de cadeira. Em seu livro Marie Antoinette: The Journey, obra que inspirou o filme de Sofia Coppola, Antônia Fraser revela que a rainha tinha mais de 10 chaises. Uma delas era tão especial que a acompanhou até no período em que foi presa. Ao longo dos anos, a chaise provou sua soberania, se atualizando pelas mãos de grandes nomes do design mundial.

Com base em aço e assento reclinável, a MR Chaise, de Mies van der Rohe, possui design inspirado nas cadeiras de balanço do século XIX.
No Brasil, uma das principais criações de Oscar Niemeyer foi a chaise-longue “Rio”, de 1978, desenvolvida em parceria com sua filha, Anna Maria. A peça possui linhas sinuosas e palha trançada, entre outros traços inconfundíveis de Oscar Niemeyer.

Em 1930, Le Corbusier criava a LC4, uma das peças mais icônicas de mobiliário, que até hoje segue como referência para outros modelos de chaise longue. Na verdade, os primeiros esboços da LC4 surgiram em 1928, mas foi somente em 1930 que a peça foi aperfeiçoada, chegando à versão mais próxima da que conhecemos. Para o gênio do design, considerado um dos mais importantes arquitetos do século XX, as formas ergonômicas transformam a chaise em uma verdadeira “máquina de relaxamento.” A peça se tornou ainda mais famosa ao ser reeditada e comercializada pela italiana Cassina. No Brasil, uma das principais criações de Oscar Niemeyer foi a chaise-longue “Rio”, de 1978, desenvolvida em parceria com sua filha, Anna Maria. África e América do Sul também possuem suas próprias versões deste ícone que ultrapassou séculos e continentes. Além do conforto indiscutível, a “cadeira longa” – com suas inúmeras leituras, que trazem cores e materiais diversos – promove um clima acolhedor, garantindo seu espaço nas ambientações contemporâneas.


Chaise PK24, em vime, do designer dinamarquês Poul Kjærholm.
A LC4, chaise projetada por Le Corbusier, Pierre Jeanneret e Charlotte Perriand em 1924, tornou-se famosa ao ser comercializada pela Cassina, em 1965.

0
Total Page Visits: 771 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *