BookMania

Quem disse que os livros precisam ficar apenas no home office ou na mesinha de cabeceira? Aquelas edições especiais e caprichadas que estão na sua biblioteca podem ganhar destaque na decoração, deixando a casa mais personalizada.


EM EQUILÍBRIO

O livro pode ser um aliado para equilibrar a altura de diferentes objetos distribuídos em um aparador, como fez o designer André Monte na composição acima. Isso além de despertar a curiosidade, revela a personalidade do morador e os temas favoritos de seu universo particular.


Embora a Internet e as mídias sociais ocupem boa parte do nosso tempo, os livros físicos não perderam seu valor. Pelo contrário, algumas edições, de tão caprichadas, tornam-se verdadeiros objetos de desejo, valorizando ambientes com sua beleza e conferindo uma irresistível atmosfera intelectual. Por isso, é hora de libertar estes volumes das bibliotecas e dos home offices para assumirem papel de destaque junto aos objetos decorativos, criando um visual superinteressante. Para começar, uma primeira dica é escolher exemplares maiores, com acabamentos sofisticados, capas duras ou títulos famosos, compondo pequenas cenas com vasos, plantas e outros adornos. Assim, os enredos dos livros que nos habitam passam a fazer parte da casa – e, além de lidos, agora podem ser admirados.


O livro pode ser elevado ao status de objeto de design, na companhia de outros itens com visual apurado.


EM ALTO NÍVEL

Livros que contam histórias de grifes famosas de moda ou arquitetura falam por si e podem ocupar um lugar especial com seus exemplares luxuosos, cujos acabamentos bem cuidados conquistam espaço de destaque em aparadores, mesas de centro e lateral, exibindo suas belas capas e lombadas. E eles nunca estão sós. Vasos de plantas, cristais de murano, caixinhas, quadros e aqueles achados de viagens podem fazer companhia e serem alternados em infinitas composições. Acima, o livro da Gucci é protagonista na composição de André Monte. Ao lado, Edimara Carvalho ressalta os livros ao lado da pintura de Aldemir Martins. Abaixo, Sophia Romcy quebra o protocolo e coloca a edição da Louis Vuitton no chão, mas nem assim deixa de ter atenção especial. A intenção é garantir que cada item seja apreciado e valorizado como merece.


Juntos, livros e natureza criam uma atmosfera despojada, com um certo ar de intelectualidade.


SOB OS HOLOFOTES

Livros têm a ver com introspecção, descanso e a felicidade de ter um tempo para si. Por isso, a conexão deles com as plantas é valiosa e traz uma sensação gostosa aos ambientes internos. Volumes com cores vibrantes são bem-vindos, assim como aqueles que falam sobre natureza, em sintonia com flores e objetos com o tema, a exemplo da composição de Giovana Ramaho, acima, à esquerda. Acima, ao lado, Sophia Romcy cria um belo contraponto entre o colorido das capas com o exuberante jardim vertical. Abaixo, Manuela Moura explora a elegância, compondo os livros com o toque do dourado e do verde.

0
Total Page Visits: 202 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *