Industrial Chic

POR DIEGO STUDART

Industrial na aparência e requintado na essência, este apartamento de 96 m² para um jovem solteiro sugere em cada ângulo um planejamento cuidadoso e vários detalhes pessoais. Quem revela todos eles é o arquiteto Diego Studart, que desenvolveu o projeto.


“Quando integramos espaços, ampliamos as possibilidades de utilizá-los ddiversas formas”


À primeira vista, puro estilo industrial. Mas quem se propõe a conhecer o projeto de Diego Studart é facilmente convencido de que se trata de uma versão requintada do conceito. No apartamento de 96 m² para um jovem solteiro, cada superfície foi trabalhada com apuro. “Teto e paredes vêm com cimento queimado, mas também trabalhamos com revestimentos 3D, placas hexagonais em três tonalidades e espelhos em pontos estratégicos”, revela. Alguns módulos em serralheria colaboram para reforçar o clima de loft chic, como na mesa alta com visão para o home theater e no módulo suspenso da varanda. “As plantas, que pontuam todos os espaços, foram fundamentais para quebrar a austeridade de cores e materiais”. Outro recurso amplamente utilizado no projeto foi a integração. Estar, varanda e sala de jantar se conectam, enquanto as portas em vidro reflecta dosam a abertura destes espaços para a cozinha, dependendo da ocasião. Entre os detalhes, fica difícil escolher qual destacar. A começar pela porta de entrada em laca em 3D, dividindo as atenções com o quadro do artista Marcelo Kovalec e outras obras de arte; a iluminação pensada de forma quase artística; o uso calculado da madeira para acender e aquecer alguns pontos. “Tudo para propor uma outra visão do industrial urbano, que pode ser supersofisticado”, afirma Diego Studart.

PONTO ALTO.
A iluminação intercala recursos que conferem modernidade e versatilidade. Trilhos com spots direcionados, fita de LED desenhando o teto e pendentes hexagonais que rebatem a luz e criam um efeito indireto são bons exemplos. Os efeitos destacam as texturas e as estruturas mantidas aparentes do imóvel.


A INTEGRAÇÃO É DOSADA DE ACORDO COM O MOMENTO. COZINHA E SALA DE JANTAR SÃO DELIMITADAS COM PAINÉIS EM VIDRO.


VERSATILIDADE

A integração da cozinha com a sala de jantar foi possível a partir da remoção de um quarto. A ideia foi criar duas possibilidades de usar os espaços. “Uma, mais privativa, mantendo a porta de correr em vidro reflecta fechada. E a outra, aberta, ampliando os ambientes”, explica Diego Studart.

PONTOS DE ENCONTRO

Na sala é onde se concentra a maioria das funções do apê e ela pode ser curtida de várias formas. Foram criados pontos de encontro, como a mesa alta logo atrás do sofá, com espaço para uma adega. O sofá tem apoio extra para um drink, e a varanda teve o piso nivelado para prolongar o estar.

SUPERFÍCIES TRABALHADAS

O uso de vários materiais confere um apelo gráfico, como o painel ripado e placas hexagonais aplicadas em pisos e paredes para delimitar áreas. No quarto, a madeira e o couro são acolhedores – e estão no DNA do estio industrial.

FORNECEDORES

Móveis fixos, Moveria. Móveis soltos,
Galpão D. Pedras, Multipedras.
Revestimentos, Lacittà. Iluminação, Candela.
Cortinas e Caceira, Blindstores.
Obra civil, Dsplan Engenharia.

@diegostudartarquitetura

Fotos: Felipe Petrovsky

0
Total Page Visits: 202 - Today Page Visits: 2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *