Rodrigo Maia e seu olhar sobre a Bela Paris

Muitos são os roteiros possíveis para conhecer a apaixonante Paris. Da culinária à arquitetura, passando pelos marcos históricos e centro de produção artística de excelência, Paris envolve o visitante em um berço cultural distinto.

Embora seja verdade que Paris é uma metrópole iluminadíssima, o título de Cidade da Luz vem pela produção intelectual e artística das mentes brilhantes que lá se concentram, atraindo os olhares há séculos. A arte está por todos os lugares por onde Rodrigo Maia passou em sua última viagem à capital francesa, que logo foi tomado pelo clima contemplativo do lugar. “O melhor de Paris é sair a pé sem destino e sem pressa. Acorde tarde, tome café da manhã na famosa casa de chá Angelina e comece o dia bem disposto e acessível às novas experiências e deleites visuais”, diz o arquiteto. Rodrigo sugere um passeio pelo circuito da moda na praça Vendôme, que abriga ao seu redor grandes maisons de luxo, como Dior, Cartier, Lâncome, Rochas, entre outras.

As ruas da capital francesa manifestam um ar de mistério e elegância

“Em direção à rua Cambon, é possível ver a sede da loja Chanel em Paris, com a clássica escadaria de espelhos, que pode ser vislumbrada através da vitrine. Logo a frente, encontramos o Triangle d’Or, formado pelas avenidas Montaigne, Georges V e Champs Elysées, os endereços mais prestigiados da cidade, que representam o que há de mais luxuoso na capital francesa. Para o almoço, os hotéis-palácios Four Seasons Hotel George V e Le Bristol oferecem um cardápio sofisticado e delicioso”, ambos localizados nos arredores do Triangle d’Or. “Um almoço num local típico dos franceses, como o café Le Buci tem seu valor, especialmente se pedir o steak tartare, que é divino. Mas eu adoro descobrir novos locais. Por exemplo, desta vez visitei o Pink Mamma, que fica no Montmartre, um bairro boêmio. Um restaurante superdescolado, irreverente, com uma comida excelente e com ótimo custo benefício. São as suspresas de Paris”. Rodrigo recomenda deixar pelo menos dois dias para realizar o circuito cultural. “Antes de chegar à cidade, gosto de verificar quais as exposições temporárias interessantes estão em cartaz. São imperdíveis o Museu de Orsay, L´Orangerie, com aquelas salas ovais impressionantes que abrigam as ninféias de Monet, o Museu Picasso e, é claro, o Louvre”.

Um passeio ao conjunto arquitetônico do Grand Palais des Beaux-Arts e Petit Palais é outra possibilidade para quem se considera um amante de arte. O Palais Royal é um clássico, em frente ao Louvre, com o pátio Cour d’Honneur delimitado por colunas, que abrigam obras de Daniel Buren. A noite de Paris merece um belo jantar, acompanhado por alguma festa contagiante, como indica Rodrigo: “O restaurante do hotel Costes tem o melhor escargot, já L’Oiseau Blanc, na cobertura do hotel Peninsula, tem a vista da Torre Eiffel iluminada para dar um brilho a mais à saída. Uma outra opção para jantar e esticar a noite, é o Yeeels, restaurante que vai virando balada com o passar das horas ou o Manko, um complexo composto por restaurante, bar e boite”. Independente do estilo da viagem, a capital francesa contempla tudo com sua grandiosidade. Plural, bela, histórica e majestosa, Rodrigo Maia resume bem: “Paris é sempre Paris e ponto.”

O restaurante de quatro andares Pink Mamma reúne todo o charme do bairro Montmartre.

ONDE IR

GRAND E PETIT PALAIS. Para receber a Exposição Universal de 1900, feira mundial que celebrou as conquistas do século passado nas artes, a capital francesa construiu os edifícios Grand e Petit Palais, que destacam o estilo eclético arquitetônico denominado Beaux-Arts. O Grand Palais foi um projeto inovador, que reflete o gosto pela rica decoração e ornamentação nas suas fachadas de pedra, com destaque para o monumental envidraçado na cobertura, a estrutura de ferro e aço à mostra e o uso do concreto armado. Já o Petit Palais foi inaugurado em 1902 em volta de um jardim semicircular cercado por colunas monumentais. Hoje, ambos abrigam exposições diversas, testemunhando a evolução da arte moderna e os avanços da civilização durante os séculos.

JARDINS TUILERIES. O Tuileries é um jardim real de um palácio que não existe mais. Catarina de Médicis, esposa do Rei Henrique II, ordenou a sua criação no século XVI para decorar os arredores do lugar. Assim, em 1664, o arquiteto André Le Nôtre, autor do projeto do parque que rodeia o Palácio de Versalhes, transformou-o num jardim formal e simétrico, cheio de estátuas ornamentais. Os museus Orangerie, construido para receber as Ninféias de Monet, e Jeu de Paume se localizam lá.

PRAÇA VENDÔME. A praça segue os padrões do urbanismo clássico francês. Se caracteriza pela Colonne Vendôme, uma coluna com a estátua de Napoleão no seu topo, em trajes típicos romanos. Inclusive, é um expoente máximo do luxo e da opulência francesa.


Arquitetura, arte, design, moda… Paris consegue reunir beleza e história em um mesmo lugar, oferecendo ao visitante uma experiência singular. Em cada esquina, um novo roteiro cultural pode ser traçado. Por isso, é importante desbravar a capital com atenção e sensibilidade. Sofisticação é a marca do estilo de vida parisiense, que se traduz em luz, luxo e poder, realçando tudo que há de melhor à francesa.


ONDE COMER

L’OISEAU BLANC. O restaurante oferece uma vista incrível dos pontos mais famosos de Paris, como a Torre Eiffel, com um lindo terraço para os dias de verão. O menu tem inspiração em ingredientes sazonais, destacando a rica culinária francesa. A decoração celebra as personalidades da aviação Charles Nungesser e François Coli, que tentaram cruzar o Atlântico em 1927 a partir de Le Bouget.

L’Oiseau Blanc é um dos restaurantes mais elegantes da cidade, com uma visão panorâmica belíssima.

LE BUCI. Este é um dos cafés mais famosos de Paris localizado entre o Quartier Latin e Saint-Germain des Prés. É o lugar perfeito para relaxar em um happy hour depois de uma longa caminhada. Café, bar e brasserie (restaurantes que servem comidas básicas e são especializados em servir bebidas, como cerveja), o Le Buci ainda conserva as mesinhas minúsculas nas calçadas tão características dos bistrôs de Paris.

Um belo jantar pode se transformar em uma balada agitada no contemporâneo Yeeels.

YEEELS. O design luxuoso do Yeeels revela uma decoração da modernidade atemporal. Aqui, o visitante pode apreciar uma Paris jovem e atualizada, sem perder a máxima qualidade da comida francesa, tão singular e sofisticada.

0
Total Page Visits: 354 - Today Page Visits: 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *