Os Arranha-céus de 2019

Poucos elementos representam tão bem o poder da arquitetura quanto os prédios que parecem desafiar limites. Esses monumentos gigantes acabam por virar símbolos urbanos e atraem olhares de todo o mundo. Conheça seis projetos espetaculares de 2019 capazes de causar vertigem e monopolizar as atenções.


Nova aposta da Malásia
The Exchange 106, Kuala Lumpur

A Malásia ganhou notoriedade no universo da arquitetura com a construção das Torres Petronas, em 1998, então o prédio mais alto do mundo. Quinze anos após a marca ser superada, a nação asiática lança uma nova aposta para competir com os arranha-céus notáveis. Assinado pelo escritório Peter Chan Architect, o Exchange 106 possui 453 metros de altura e 97 andares, assumindo a condição de recordista do país. O prédio tem conclusão prevista para o segundo semestre deste ano, e funciona como centro comercial, abrigando diversas sedes empresariais e passando a ser referência do principal distrito financeiro da cidade.


Espiral infinita
Azrieli Tower, Tel Aviv

Centro financeiro de Israel e cidade mais cosmopolita do Oriente Médio, Tel Aviv resolveu entrar no mundo dos deslumbrantes arranha-céus. Projeto do escritório Kohn Pedersen Fox (KPF), a torre de 340 metros de altura e 91 andares explora uma sinuosa geometria elíptica, que vai afunilando a partir da base, criando uma sensação de movimento constante. A envolvente camada externa transmite dinamismo, parecendo não ter fim graças ao desenho da cobertura, e abraça toda a estrutura interna do prédio. O edifício contempla espaço para salas comerciais, residências e complexo hoteleiro, e ainda não tem previsão de entrega.


Monumento slim
111 West 57th, Manhattan

Símbolo da imponência dos arranha-céus no mundo inteiro, Nova Iorque não poderia ficar de fora dessa lista. De Manhattan, vem o 111 West 57th, criação do escritório SHoP Arquitects. Com 438 metros de altura, a torre ganha destaque por ser o edifício mais estreito já construído, possuindo apenas 18 metros de largura. Erguido com estrutura em concreto armado, e fachada em vidro e terracota, a edificação oferece uma vista panorâmica absolutamente espetacular do Central Park, marco turístico da cidade. O projeto contempla espaços para lazer, escritórios e área residencial com 46 apartamentos de luxo. Praticamente finalizado, o prédio aguarda apenas a colocação do pináculo, que deve ocorrer até o fim de 2020.


Sintonia com a arte
53W53, Manhattan

A icônica ilha de Nova Iorque não poderia ficar com apenas um representante nessa lista. O 53W53 é um deslumbrante prédio de fachada toda envidraçada, no coração de Manhattan, também conhecido como Torre do MoMA. A denominação decorre do fato da construção de 320 metros de altura, inaugurada no final de 2018, ficar ao lado do famoso Museum of Modern Art. A parceria com um dos símbolos da cidade vai além da proximidade geográfica. O projeto assinado pelo vencedor do Pritzker, Jean Nouvel, contempla espaço para galerias e fornecerá acesso irrestrito ao museu.


Traços antropomórficos
Shenzhen International Shimao Center, Hong Kong

O gigante asiático vive um crescimento expressivo nas últimas décadas, e se consolidou como uma potência arquitetônica. O Shenzhen International Shimao Center chega para se tornar o prédio mais alto da China, com 700 metros de altura, e segundo do mundo, superado apenas pelo Burj Khalifa (828 metros), em Dubai. O traçado antropomórfico proposto pelo escritório Adrian Smith + Gordon Gill Architecture transforma o edifício num verdadeiro monumento para a cidade. A torre engloba complexo que inclui apartamentos, escritórios, uma incubadora de startups, hotéis cinco estrelas, shoppings, escolas e um centro de convenções com teto ondulado, inspirado nas nuvens. Iniciadas neste ano, as obras devem seguir até 2024.


Ideal sustentável
SEED Blockchain Center, Jacarta – INDONÉSIA

SBC, também conhecido como SEED Blockchain Center, é um empreendimento visionário, projetado pelo escritório Samoo Architects na capital da Indonésia, cujo diferencial é a abordagem sustentável que guiou todo o desenvolvimento do complexo. Focada na conscientização de buscar reverter as mudanças climáticas, a edificação é carregada de simbolismos ambientais. O prédio de 55 andares não irá gerar emissão de carbono, usará energia limpa proveniente de painéis solares, além de possuir sistema de captação da água da chuva e jardins verticais envolvendo a construção, que deve ficar pronta em 2023.

0
Total Page Visits: 100 - Today Page Visits: 4

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *