Abstracionismo Criativo

POR KLEBER VENTURA

De Itapipoca para o mundo, o artista, que começou a carreira com xilogravura, hoje impressiona pelos traços abstratos, que unem referências culturais com o Optical-Art.


Serigrafia é a técnica utilizada para dar vida ao abstracionismo geométrico preto e branco das gravuras.


Acena artística é cheia de surpresas e boas revelações. Quem imaginaria, por exemplo, a mistura de traços abstratos com a essência do Nordeste? A rara combinação pode ser vista no trabalho genuíno e inusitado de Kleber Ventura, mestre da xilogravura nordestina que já ganhou as paredes de São Paulo e New York, com direito até a um prêmio da internacional Abadia Gallery, em 2014. Essa produção marca a nova fase da carreira do artista, e é composta por um conjunto de gravuras com faixas paralelas que causam impressão de movimento, numa composição que remete tanto à estética abstracionista, quanto ao movimento Optical Art.

Outro ponto interessante é que a geometria dos traços em preto e branco tem um ar de efervescência e de vida – contrastando com a maioria das obras desse estilo, que remetem à sobriedade. Nos quadros, Ventura procurou trabalhar de forma sucinta, impondo uma acentuada limpeza nos traços, sem efeitos desnecessários, indo direto aos motivos que lhe interessam por intermédio de cortes minuciosos, tudo ressaltado pela alta qualidade da impressão. Ao finalizar essa inconfundível coleção, o artista completa 50 anos com uma arte que sempre procurou criar seus próprios caminhos, não se deixando levar por modismos, marcada por um estilo ímpar, domínio nos processos de gravação e forte identidade. Suas influências vão desde o expressionismo alemão até elementos da infância, vivida em meio a temas religiosos, mas a verdade é que não existe um padrão específico. “Eu nunca determinei um tema, vou sempre pela intuição, desenvolvendo o que me vem à cabeça”, conta. Todo esse sucesso não veio por acaso, é fruto de talento e muita dedicação.

E isso é comprovado quando mergulhamos na história do garoto de Itapipoca-CE, que com apenas 15 anos já ganhava seu primeiro prêmio, na década de 1960. Desde então, buscou aprimorar seus dons, estudando com grandes referências da área, como Misabel Pedoras, Hanssen Bahia e Marcelo Grassmann. Após concluir cursos de gravura, ele expandiu as áreas de atuação, participou de diversos movimentos de arte, 120 exposições, ganhou 33 prêmios e tonou-se referência das artes visuais no País. O que começou apenas com o amor pela xilogravura transformou-se numa produção tão polivalente, que hoje abrange desde a área do teatro, da performance, da pintura, da escultura, do desenho e até mesmo da serigrafia, sendo tudo o que faz carregado de imenso valor cultural e de grande riqueza estética. Os amantes da boa arte agradecem.

0
Total Page Visits: 73 - Today Page Visits: 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *