A Dama da Arquitetura

Curvas fluidas e criatividade singular foram marcas da carreira da premiada arquiteta e designer, Zaha Hadid, uma das mais célebres e inventivas da atualidade.

O Centro Heydar Aliyev, no Azerbaijão, é utilizado como principal edifício para programas culturais do país e estabelece uma relação de fluidez entre a sua praça circundante e o interior do prédio. O projeto apresenta formações elaboradas, como ondulações, bifurcações, dobras e inflexões que atribuem um ar contemporâneo à paisagem.

Zaha Hadid se tornou uma das arquitetas mais importantes do século XXI e seu trabalho, agraciado por todos os continentes, passou pelo Reino Unido, Espanha, China, Alemanha, Catar, Azerbaijão, Estados Unidos e até Brasil, deixando uma herança arquitetônica monumental. O estilo da arquiteta de talento inquestionável rendeu monumentos grandiosos, inspirados na arquitetura desconstrutivista – que defende a fragmentação das formas para reconstruí-las com complexidade e movimento – resultando em formas inventivas e, ao mesmo tempo, instigantes e de beleza singular. Iraquiana radicada na Inglaterra, Hadid iniciou seus estudos na área da matemática, tendo depois se formado em arquitetura na Architectural Association de Londres, onde também lecionou anos mais tarde. Em 1979, já havia fundado seu próprio estúdio na capital inglesa, o Zaha Hadid Architects, que hoje continua atuando, inspirado na mente precursora. Além das obras arquitetônicas, Zaha também se dedicou ao design com suas criações surpreendentes, utilizando técnicas artísticas e artesanais. Seus produtos se destacaram pela já conhecida forma fluida e pelo contraste tanto nos materiais quanto nas cores. Sua expertise também marcou o mundo da moda, em parcerias com marcas renomadas, como Chanel, Louis Vuitton, Swarovski, Lacoste e Melissa, ampliando cada vez mais seu portfólio criativo. Essa foi a memorável Zaha Hadid, falecida em março desse ano, que traduziu seu talento em mais de 40 anos de uma carreira destemida e corajosa, marcada pelos projetos de traçado orgânico e baseada em experimentação revolucionária e pesquisas nas áreas de arquitetura, design e urbanismo. Tanto talento concedeu-lhe o Prêmio Pritzker, em 2004, primeira vez que a maior premiação no mundo da arquitetura foi entregue a uma mulher. Nomeada dama do Império Britânico, a artista também foi agraciada com uma Royal Golden Medal, em 2016, homenagem concedida pelo Instituto de Arquitetos Britânicos e entregue pela própria Rainha àqueles que tiveram uma influência significativa direta ou indireta no avanço da arquitetura. Agora, só resta ao mundo agradecer por essa mente brilhante ter passado por aqui, com sua criatividade e inventividade que ampliaram os horizontes da arquitetura e do design, e seguindo como fonte inesgotável de inspiração.

A cadeira Kuki foi uma parceria de Zaha com a Sawaya & Moroni. A peça lembra uma folha de plástico dobrada e redobrada, garantindo a forma curva e fluida, típica dos trabalhos da designer.

Zaha Hadid foi uma das mulheres mais premiadas da arquitetura mundial


A última criação de Zaha, a mesa Mew foi concluída poucos dias antes de seu falecimento, para Sawaya & Moroni.

0
Total Page Visits: 159 - Today Page Visits: 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *